domingo, 9 de maio de 2010

Abrindo o coração...

Neste dia das mães venho aqui abrir meu coração.
Fechar os olhos.
Olhar pra dentro.
Deixar de lado o que não importa.
Me conectar à minha essência.
E quando abro esta porta pra dentro de mim, não gosto do que vejo.
O que enxergo é a mais pura ingratidão!

Todos os dias, de manhã, de tarde e de noite tenho o hábito de agradecer.
Agradeço por todas as coisas que tenho e que tive na vida.
Agradeço pelos ensinamentos do meu sábio pai que já se foi, pela presença da minha mãe em minha vida, pelos meus filhos, que são a minha própria vida, por Deus ter tirado do meu caminho pessoas que não me acrescentariam coisas boas, ao mesmo tempo por ter colocado em meu caminho um anjo iluminado - meu marido querido, pelas minhas conquistas materiais, pelo meu desenvolvimento espiritual, por tudo, tudo mesmo.

Mesmo assim, depois de tanto agradecer, me acho ingrata e explico o porquê.
Porque mesmo sendo regada por bençãos diárias, ás vezes me vejo perder a paciência facilmente, me irritar, deixar de contemplar pessoas amadas com mais abraços, dispensar mais sorrisos sinceros no dia-a-dia...
Isso é a pura ingratidão expressada nas minhas ações.
Agradecer nao deveria se manifestar apenas em momentos de meditação, de oração.
A gratidão deveria e deve ser expressa em forma de atitudes.
E é por isso que venho aqui fazer este desabafo.
A fim de alcançar este aprendizado.
A fim de não mais errar.
Quero, a partir de agora, agradecer na prática, nos meus menores atos, toda a felicidade que recebo.
E como mãe, tenho ainda mais motivos pra acordar com um sorriso estampado no rosto.
Nós mães somos seres abençoados e sabemos disso.
Nós mães somos seres iluminados e recebemos em troca tanto, tanto amor.
Acima de tudo, nós mães somos dotadas de uma força sem fim que nos ajuda a enfrentar todos os desafios que a maternidade nos impõe e que só nós, apenas nós, sabemos quais são.
Nós mães devemos ser o espelho de serenidade, de amor e de felicidade.
Sempre? Não, pois estamos longe da perfeição.
Mas SEMPRE que conseguirmos, pois nós já ganhamos o melhor presente que poderíamos ter: a capacidade de gerar vida e de amar incondicionalmente!
E quanto amor temos pra dar e pra receber...
E no meu dia das mães este foi o meu maior presente:

5 Comente AQUI!:

papistar_nunes disse...

O importante é reconhecer quando se erra.Mediante tão linda homenagem que voce presta a sua familia, dá para ver a grandiosidade que voce tem no coração.
Se irritar um pouquinho perante pessoas que voce ama, é nada perto do amor que elas recebem de voce todo dia.Parabéns mamãe. smackssssssss

bordados da vida disse...

FELIZ DIA DAS MÃES AMADA,
TUDO DE BOMM

bordados da vida disse...

lindossssssssssssssssss

Dani disse...

Dany, isso serviu tão bem pra mim. Agradeço em palavras, mas minhas atitudes tem deixado muito a desejar...

E que bom que vc não perdeu a capacidade de enxergar em si, suas próprias falhas. Isso é bom e só engrandece.

(cheguei aqui através do blog Vestido de Rodar)
Beijo

Aretusa disse...

Quando você disse "e quanto amor teremos pra dar e receber", olha, sinceramente eu não sei, sei que é muito e é o tempo todo!! Mas esse amor não é perfeito, ele tem seus momentos difíceis, ele vem com erros, mas também vem com muitos acertos.
Meu presente de dia das mães é a Sophia todo dia, precisa mais?
Beijocas.
Aretusa, mamãe da Doce Sophia

Postar um comentário