terça-feira, 14 de junho de 2011

Nosso amor só nosso - Capítulo 2

Um ano antes de conhecer Massimo virtualmente eu tinha ido passar as férias em Fortaleza.
Que lugar lindo e paradisíaco aquele.
Acontece que em um dos passeios que fiz pelas praias de lá vivenciei uma experiência nada legal com um grupo de turistas italianos.
Era o destino começando a mexer seus pauzinhos a meu favor e eu nem imaginava.
Fortaleza é um antro de estrangeiros que vêm para o Brasil em busca de turismo sexual.
Lembro que neste passeio me sentei num restaurante onde, na mesa ao lado, havia um grupo de 5 italianos.
Eu estava lá, bem tranquilona chupando os dedos enquanto quebrava mais uma pata do meu caranguejo quando percebo uma movimentação estranha.
Me dou conta de que eles estavam apontando pra mim e fazendo comentários desrespeitosos (até parece que entendia alguma coisa), mas com cara de vou te comer, vou te comer, vou te comer...
Eca!
Ah se fosse hoje eu ia mandar um va fan culo esperto pra eles.
Mentira!
Só escrevo palavrão, mas não falo palavrão. Sou bem educada na vida real, só virtualmente que sou linguaruda.

Um ( ) sobre palavrões...
Meu vocabulário de palavrões foi adquirido, em parte, com uma pessoa importante nessa história toda: minha amiga Tharsila (vou usar esse codinome beija-flor aqui porque não pedi licença para expor a imagem dela). Beijo Tha....rsila!
Tharsila é carioca da gema. E carioca gosta de falar palavrão, né?
Assim como o nordestino fala oxente e o adolescente de Brasília fala véio, o carioca fala palavrão.
Eu acho fofo demais ela falando.
Porque não é só soltar o por** e a mer**, tem que ter aquele sotaque carioca gostoso.
Essa amiga acompanhou meu namoro virtual praticamente do início dele até os dias atuais.
Ela não  dava palpite do mal. Era parceira. Me dava o ombro amigo pra .... pra.... pra comermos batata recheada no Roadhouse... Porque não sou muito de chorar no ombro de ninguém. Sou fechada pra caramba (reclamam TODAS as minhas poucas amigas).
Acho que por isso escrevo.

Fechando ( ) e voltando ao que interessa:

Então que, como esses foram os únicos italianos que tive contato na vida, fiz uma dedução simples e rápida, baseada em uma sentença lógica formulada por mim.
Funcionava mais ou menos assim:

-"conheci" na vida 5 italianos.
- todos eram homens e babacas.
- logo todos os italianos homens são babacas.

E assim eu sigo, simplificando a vida. hahahahah
Adoro fazer sentenças de lógica com fatos cotidianos.
Sou viciada nisso assim como a minha vó é viciada em tirar a prova dos 9 de todos os números que vê na rua.
Mas, vejam vocês que, quando adicionei Massimo, não me lembrei desse acontecimento.
Agi apenas instintivamente.
Precisava mais que isso?
Sim Danielle, precisava.
Muito mais.
E sabe porque?
Na época eu estava saindo de um casamento de 7 anos. (Onomatopéia para a bomba caindo: puftpátibooooommm!)
E por causa deste fato, misturado com 2 colheres de mal entendido, mais uma pitada de incompreensão linguística, foi gerada a nossa primeira discussão virtual.


Foi mais ou menos assim que tudo aconteceu:
Ele começou a perguntar coisas básicas sobre mim e eu sobre ele.
(oi quer tc? hahahaha)
Foi quando eu disse, logo no primeiro instante, que eu era casada, sem explicar nada o que acontecia ao meu redor.
Sem dizer que este casamento estava por um fio.
Sem dizer que já havia um abismo enorme  e que bastava uma gota de nada para tudo ir por água abaixo.
Disse apenas que era casada e como resposta recebi a seguinte frase que, por mim, foi pessimamente interpretada:


_ Ok. Adesso vado (agora vou). Nao gosto de me "poner" entre esposos.

E foi aí que o bicho pegou.
Eu pensei: italiano fdp... tá achando o que da vida?
Nem me conhece e já acha que tô propondo um ménage a trois?
Pouhããããã.
Entendi na minha mente pervertida que ele tinha achado que EU estava propondo algo a 3, mas o que ele queria dizer era apenas que não queria se envolver no meio de nenhum relacionamento.
Discutimos neste dia.
Fiquei bem brava e quase o excluí do MSN.
Mas não foi difícil de nos entendermos apesar do idioma. A briga durou pouco e entendi, finalmente, o que ele estava me dizendo.
Neste momento nossos territórios foram demarcados.
Continuamos a conversar por mais alguns poucos minutos.

E então, depois deste dia, sumimos um do outro sem querer.
Não sei exatamente o que aconteceu. 
Minha vida me levou para outros rumos e a dele também.
Passamos mais de um mês sem contato algum.
Nos perdemos.
Eu levava comigo a imagem dele como lembrança e com ela seguia meus dias.
Ele, acho que nem devia lembrar de mim... mas isso eu não posso afirmar.
Eu o via conectado algumas vezes, porém não ousava chamá-lo para conversar, por medo de assustá-lo talvez. Como uma forma de desfazer tudo o que já tinha sido feito, quem sabe...
Poucas vezes eu ficava on-line, e por pouco tempo.

Foi então que um mês (mais ou menos) depois, Massimo me chamou novamente no MSN.
Meus olhos brilharam e deixei, mais uma vez, escapar um sorriso.
Neste momento, tudo viria com força total e não conseguiríamos mais fugir um do outro.

E a trilha sonora desta parte da história é sem dúvida essa:


Amanhã volto com a continuação da nossa novelinha da vida privada.
Tem muito babado nesse vestido ainda.
Beijo e a domani,

Dany, Danielle

9 Comente AQUI!:

Minéia Pacheco disse...

Olá Dany,

Nossa.... Que história!
A cada capítulo ela está melhor!!!!
Aguardarei pelos próximos, beijinhos!!!

Minéia Pacheco disse...

Nossa Dany, a cada capítulo essa novela fica mais emocionante!
Que história incrível!!!
Aguardarei ansiosa a continuação, beijinhos!

Aline Soares disse...

nossa que incrivél!!!eu tb adoro fortaleza,as praias são lindas,pena que o rostituição esteja tão visivel na orla....bjs e estou adorando sua estoria...

Cris disse...

TO ADORANDO!!!!!

BEIJAO,

@crislhullier

Juliana disse...

Dany do ceú, vc tem que escrever um livro! Sei que muitas pessoas já te falaram isso, mas vc bem PRA CARAMBA!!! Fora, que a história é de um tanto, mega emocionante! Como foi para tirar a imagem dos italianos idiotas?? Como vc explicou ou desexplicou que era casada?
beijocas,
http://mentevaziaeoficinade.blogspot.com/

Mulher Multifacetada in disse...

Ola Dany,
Que história menina, olha realmente ao ler a história e saber do final dela (q vcs estão juntos hoje e fomaram uma famíla) é difícil acreditar q desse angu sai caroço hein....estou ansiosa pela terceira parte.
bjos
Maysa

Mulher Multifacetada in disse...

Ola Dany,
Que história menina, olha realmente ao ler a história e saber do final dela (q vcs estão juntos hoje e fomaram uma famíla) é difícil acreditar q desse angu sai caroço hein....estou ansiosa pela terceira parte.
bjos
Maysa

Elizangela disse...

Ei Dany!!
Estou acompanhando sua novela privada!!E vou te contar: já espero o terceiro capítulo!!!kkk

beijinhos e até amanhã

Elizangela disse...

Ei Dany!!
Estou acompanhando sua novela privada!!E vou te contar: já espero o terceiro capítulo!!!kkk

beijinhos e até amanhã

Postar um comentário