quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Contando Causos - Vida de artista!



"Todo artista tem de ir aonde o povo está". 
Essa música não me traz boas lembranças, definitivamente não!

Acontece que eu já fui dançarina de banda (dançando lambada ê, dançando lambada lá).
Sério mesmo.
Fazia parte da banda da Márcia Ferreira, a compositora da famosa música "Chorando se foi".
Pensem! Vocês estão diante de uma sub-celebridade esquecida. Brinks!
Mas então, o causo de hoje aconteceu num dos nossos shows feitos nesse Brasil afora.
Sabe o dia em que a Lei daquele velhinho brincalhão, o Murphy, resolve te pegar pra cristo?
Era ano de campanha política e nós íamos fazer mais um showmício (naquela época ainda era permitido).
Então, saímos de casa umas 10 horas  da noite, rumo a uma cidadezinha próxima (a 1 hora e pouco de Brasília).
O local era mega esquisito. Escuro, mas bem movimentado. Meio filme de terror (adora acontecer comigo).
Fomos convidados pelo candidato, X, da esquerda. Tudo começa com essa informação
Chegando no local vimos um palco enorme, lotado de gente, mas não conseguíamos falar com os organizadores. Eles não atendiam o celular devido ao barulho.
Então, saímos do carro, a cambada toda, baixista, guittarista, baterista, bailarinos e nos dirigimos ao camarim.
Chegando lá vimos que todos nos olhavam de um jeito estranho, meio desconfiados.
Foi quando um de nós teve a brilhante ideia de perguntar em alto e bom tom: aqui é o showmício do candidato X, né?
A resposta é óbvia: não... não era.
Era exatamente o showmício do candidato Y, o da direita e, aquelas pessoas,eram as que queriam nos cortar em 300 pedaços e jogar para os abutres.
Saímos de lá expulsos e constrangidos.
A noite estava apenas começando.
Rodamos, rodamos, rodamos, até que encontramos outro palco enorme. Nem tão enorme, tenho que admitir e nem tão bonito.
Mas tinha gente, tinha muita gente enfiada ali.
Nos dirigimos para o camarim, o certo desta vez, e fomos nos trocar.
Hora do show.
A minha entrada acontecia sempre na metade da primeira música após a cantora anunciar o nosso número como se fôssemos estrelas da Broadway.
A música começa. A música continua. A música está no meio e a cantora está lá, chamando os bailarinos para o palco. E ninguém aparece.
A cantora continua a chamar os bailarinos para o palco: vazio profundo, não sobe ninguém.
A música continua só no instrumental, aquele clima constrangedor e a cantora chama novamente os bailarinos para cima do palco.
Nós , simplesmente não conseguíamos subir  de tanta gente enfiada lá em cima, nas escadas, em cima das caixas de som. Tinha gente por toda parte.
Aquele tipo de evento bem organizado de deixar no chinelo qualquer Rock'n Rio.
Até que arranjamos um buraquinho entre um sovaco e um cotovelo e  conseguimos nos enfiar no meio da multidão.
Subimos no palco.
Chegando lá eu não pude acreditar.
Tinha tanta gente, mas tanta gente que parecia um palco invertido, onde o público é a atração.
Devido a isso, o palco balançava tanto, mas tanto que dava a impressão de que poderia cair a qualquer momento.
Situação de pânico.
Pensei que ia morrer naquela noite.
Imaginem o desespero: morrer já é triste o bastante, mas morrer de sainha de lambada é o fundo do poço das mortes.
Ninguém merece, nem mesmo eu.
Terceiro problema da noite: a cantora  fez  aquele show usando playback (até hoje não entendi isso).
Playback já é uma situação constrangedora para qualquer artista, some a isso o fato de o cd ficar pulando de 5 em 5 segundos devido ao palco que balançava porque o público errou seu lugar e invadiu a nossa praia.
Eu, por um momento, pensei estar participando daquelas pegadinhas do Gugu, porque não podia tanta coisa errada junto.
Só que o auge da noite ainda nem está perto de acontecer.
Entro eu, na minha segunda troca de roupa para dançar a lambadinha maneira de todos os shows.
Só que, com a confusão que estava no palco, algo saiu errado.
Entre um passo e outro, entre uma acrobacia e outra eis que tudo aconteceu.
Meu parceiro me jogou pra um lado, me jogou pro outro, e quando eu voltei, estava SEM A MINHA SAIA!!!.
Não estou exagerando. Fiquei pelada em cima do palco (só de sunkini, salto 15 e a parte de cima do figurino).
A essa parte da minha vida eu dou o nome de: não queria ser eu!
Saí de fininho, fui para trás do palco, me vesti novamente e voltei como se nada tivesse acontecido.
E todos gritavam: de novo, de novo, como se aquilo fizesse parte de todo aquele circo.
No final do show, pra fechar com chave de ouro toda esse espetáculo mambembe, fomos chamados para um jantar super formal na casa do Prefeito da tal cidade.
Sabíamos que isso ia acontecer, então colocamos nossos trajes de gala e partimos rumo ao ápice daquela noite, onde no meio de um salmão e outro o assunto da noite foi ..... EU (ou minhas ancas, como preferirem interpretar)!
Lindo isso.
Essa é a minha vida (pelo menos foi) esse é o meu clube (clube dos micos épicos).

27 Comente AQUI!:

Keilla Colombo disse...

Sua vida é uma piada, aposto que esse dia era um daqueles que vc nem deveria ter levantado da cama...morri de rir do começo ao fim...

Flor, aproveita a corre lá no blog que está rolando um sorteio de esmaltes maravilhosos...

BJosss

Roberta Colling disse...

Eu ri muito da sua história, e não podia viu.. estou em uma biblioteca, o pessoal esta até me olhando feio..
Mas quando eu li " mas morrer de sainha de lambada é o fundo do poço das mortes." eu cai na gargalhada aqui mesmo.. na hora é horrível mas depois a gente faz piada, eu faço piada até de coisas triste, pois no fundo no fundo a vida da gente não passa de uma comédia pastelão.. hahaha
Bjus

Funny Paper disse...

kkkkk tô aqui dando muitas risadas!! Imagino que lá, no momento deve ter sido muito tosco, mas essas coisas depois que passam se tornam bem engraçadas!!

Bjs

Sil

Caroll disse...

Adoro visitar seu bloguinho!!
Sempre me traz um sorriso no rosto!rsrs
Abraços

- Futura mãmã ! disse...

Muitoo engraçado, me desculpa ta ? sem ofensa...mas foi engraçadooo...
Qnd e assim so nos apetece nunca mais ver ngm daquela gente que viu ne =/ rsrs

Beijoo

Izabelle Costa disse...

Desculpe, mas estou chorando de rir aqui.
Legal ter histórias para contar, querida!
Depois edita o blog e transforma em livro. Vai vender pacas!!!!
Beijos e um ótimo final de semana.

Livea Bulcao disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.. desculpa!
Desculpa-me!!!
Mas,gente so tenho que rir mto mto mto mto..

Parece ate programa de humor da tv.


beijos, flor!

http://trajefino.blogspot.com/

Livea Bulcao disse...

Ahhh e adorei o layout do blog! Mto fofo..

http://trajefino.blogspot.com/

Feminina e Vaidosa disse...

Menina do céu que fôlego!
tenho 3 pés esquerdos, ñao danço nadaaaaaaaa! kkk
beijos

Zapataria disse...

Não pode ser verdade...Tudo isso num só dia? É pra matar mesmo...
Legal te conhecer. Eu era mais uma daquelas que corria quando começava Chorando se foi e aumentava o volume pra dançar junto. Hehehehehe...
Um beijo!

http://zapatariabr.blogspot.com

Flávia Mergulhão disse...

Obrigada pela visita!
Volte sempre!
Bjinhos

Julia Penedo disse...

hahahahah! adorei
bjss

www.blogdajupenedo.com

Eneida Freire disse...

Muito legal a história!!!!
Beijo!

Vânia Pinho disse...

Dany amiga....imagino como você não deve ter histórias hilárias para contar!!!!
Ri muito da sua história....o mais importante é que você levantou....sacudiu a poeira e deu a volta por cima!!!

bjus e um lindo fim de semana

Vânia Pinho

equipeloveme disse...

Olá,
Adorei o seu blog e o conteúdo dele.
Tem post novo no nosso blog, dá uma passadinha lá? =)
Que você tenha um excelente final de semana!
Beijão

http://www.thepastimeloveme.blogspot.com/

Mãe Mochileira,Filho Malinha disse...

kkkkkkkkkkkkkkk,caraca..eu to chorando aqui de rir...tem dias que TUDO acontece com a gente,huahuaa..
Não sabia que tu era dançarina,einh!!!que babado,achava lindo ver o povo dançando e rodopiando as saias,eu nunca soube me acertar e dançar aquilo...mas acho massa ate hj(sim,tb fui da geração lambada..kkkkk)
Beijos e um otimo fds!!!
:-)

KINHA disse...

Olá Dany

Adorei encontrar vc aqui na blogolândia. Sou Kinha do blog AMIGA DA MODA e vim conhecer seu espaço. Gostei e já estou te seguindo. Vou aguardar a sua visita e ficarei feliz se me seguir também.

Bjooooooooooooo......................
www.amigadamoda1.com

Renata Marques disse...

Tá, mas e o candidato, ganhou ou não?

Edi Reis disse...

O importante é não perder o humor kkkkkkkkkk
Mto bom!!

bjo
http://feedbackpositivoagora.blogspot.com/

Neli Alves disse...

Amei o "caso" e a ideia de alguém que disse que você deveria transformar em livro. Muit bom ter histórias para contar, não é? Bjks e sucesso.

Bel Rech disse...

Como contas é hilário, mas acho que no momento deve ter sido muito constrangedor..Pelo menos você tira proveito daquilo de bom que ficou e faz piada do que não era para ser engraçado..
Paz e bem

Josiana Leite disse...

Muito bom to rindo,até, rss, muito bom texto, parabéns.
josiana leite - Decorafino

Sandra Lima disse...

kkkkkkkkkkkk
E pelo visto, no fim da noite você "chorando se foi"!
kkkkkkkkkkkk
Dani, suas histórias são ótimas! Tô aqui morrendo de rir sozinha!
Sabe que sua vida dava um livro?
Beijos

blogdaturmaadm1bn.blogspot.com disse...

É AMIGA, FOI MUITO ENGRAÇADO MESMO...KKKKKKKKKKKKKKKKK!!! EU TAVA LÁ DIVIDINDO O PALCO COM VOCÊ!!! ESSAS LEMBRAÇAS ME FAZ SENTIR SAUDADES DE VOCÊ!!! SIMPLESMENTE: PROFISSIONAL!!! BEIJOS!!!

Ariane Rezende disse...

Até tô rindo, mas só consigo imaginar vc glamourosa dando as rodopiadas ao som de "chorando se foooi". DIVA!!!!

Priscilla Oliveira disse...

Ai, morri de rir com essa história. Tem coisas na nossa vida que é melhor nem lembrar.
Beijos

Lia Gloria disse...

Grande revelação! Parece aquele quadro do vídeo show, que mostra as profissões que determinado artista famoso já teve.
Dany, depois que passa, só rindo mesmo. E eu ri pra caramba, tu escreve super bem, envolve. bjs

Postar um comentário