segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Os bastidores de uma não-festa

Xô contar umas besteiras pra descontrair um pouco (e pra quando eu for velhinha ~ daqui uns 2 anos ~ eu poder lembrar dessa parte da vida).

A comemoração do aniversário do Alberto foi linda, incrível, inesquecível, divertida e ainda poderia descrevê-la em outros 2130 adjetivos legais de tanto que gostamos.

Mas antes de dar certo, deu muita coisa errada.
É a vida testando meu alter ego Pollyana...
Rá, te ganhei vida!

Saímos de casa, umas 9 horas da manhã de sexta-feira, felizes, alegres, com o carro cheio de coisa da festinha ~farofaaaaa~ rumo à Carapibus. O sol estava lindo e parecia que não ia...

Ops....:

Primeiro teste de sanidade do dia (difficulty level medium):

Eu: _ Amore, não acredito que está chovendo (eu olhando pro céu com cara de _______________ (complete com uma palavra de 2 letras, que tem um buraco no meio e não é CD.).
Ele: _Não amor, não se preocupe que deve ser só chuva de verão que já vai passar.

Pagamos pra ver e a chuva passou mesmo.

Chegando lá...

Segundo teste de sanidade do dia (difficulty level easy):


A tenda não estava montada como combinamos que deveria ser feito. Montar uma tenda demora e dá trabalho. Então ela já deveria estar montada antes de chegarmos, para não perdermos sol, mar, camarões .... ops, quis dizer tempo.

Massimo desce do carro, vai sondar o problema e o garçon, com toda a alegria de viver diz:

_Se preocupe não, visse? Já, já a gente monta...

Nesse já já foi quase uma hora pra montar a bendita tenda, e a gente esperando com os doces, bolos e desilusões na mão (na mesa tomando água de côco na verdade)...
Tenda sendo resolvida, terceiro problema pegando o bastão de revezamento...

Terceiro teste de sanidade do dia (difficulty level easy):

Chega o rapaz da cama elástica só que sem a cama elástica (um detalhe apenas) e fala:
_ Olha tivemos um probleminha..... (eu já tinha desmaiado nessa hora nem ouvi o final da frase e só acordei quando a cama elástica estava montada).
Acontece que o carro dele quebrou ali perto e Massimo teve que ir buscar a cama.
Nada tão grave assim...
Vai vida, manda o próximo teste que hoje eu tô guerreira.


Quarto teste de sanidade do dia (difficulty level easy):

O vento neste dia estava de levantar peruca de careca de tão forte, o que não é nada bom pra uma festa ao ar livre, aviso logo se você pensa em fazer um dia.

Então tô lá eu, linda e loira (internamente) arrumando tudo, bolo no lugar, doces no lugar... taças no... ops, o vento derrubou uma das minhas xodozinhas que se espatifou em mil... quero dizer, dois pedaços (já colei e vai virar castiçal)!
Snif...levei a quantidade certa de taças para servir os doces, como uma quebrou, tive que tirar duas para mesa não ficar capenga.
Menos taças na mesa, menos doces na mesa...
Todos CHORA!

Quarto teste de sanidade do dia (difficulty level hard, esse foi hardcore!!!):

Tô eu lá animada e quase terminando meu trabalho para enfim desfrutar da bela paisagem que escolhi para viver, quando de repente, simplesmtente a tenda pensa que é passarinho e................................VOA!
Sério, nessa hora eu queria ser um peixe, para em seu límpido aquário mergulhar porque ser eu tava sendo difícil demais até pra mim que já tô acostumada.
Respirei fundo, contei até 12349 (o máximo que sei contar) e, como não sou uma pessoa histérica nem estressada, olhei em volta com um olhar cansado, profundo, me dizendo coisas, um grito:

_Amore, se essa tenda não der certo, a gente faz a festa debaixo do coqueiro, numa boa... (horas de meditação para alcançar tamanha serenidade...cof).
Vieram, então, os salvadores de festas (garçons) e montaram a tenda de novo, com reforço triplo dessa vez.

Quinto teste de sanidade do dia (difficulty level easy):


Mas até isso acontecer (uns 30 minutos), tudo que estava na mesa derreteu por conta do sol forte: pirulitos de chocolate (viraram nescau), doces, balas, o nome do Alberto no bolo que ficou meio como se alguém com Parkinson tivesse escrito...blz.

Depois de ser testada e receber meu ISO 9000 para organização de festas com grau máximo de diciculdade, o vento acalmou, o sol abriu, o mar baixou deixando à mostra as lindas pedras de Carapibus e o resultado foi esse (pra que não viu, clica na imagem pra ir para a página e fotos):


A frase mais linda de todas, na hora do caos, foi a do meu adolescente: mãe, o que importa é que estamos todos juntos e felizes, a gente canta os parabéns até na areia.

"Eu tenho tido a alegria como um dom
Em cada canto eu vejo o lado bom...."

5 Comente AQUI!:

Adriana Engelmeyer disse...

Nossa.....parceria aqueles filmes....com o titulo ....Corre que a festa vem ai.....e com muitos participantes especiais ....kkkkkk beijos e parabéns pela paciência

Patricia Madono Garcia disse...

Amada...

na hora a gente pira... mas depois vê que são doces, alegre e insanas dificuldades e, ainda, tu contando, fica melhor ainda....

Parabéns... por tudo, e, mais, por seres esse ser espcial, que para mim, em especial, é fonte de criatividade, amizade e felicidade genuínas.

Beijos do Sul do Sul...


Patty

Sandra Lima disse...

Incrível como os filhos sabem ser companheiros e até parecer mais maduros e centrados que nós.
Agora, olhando tudo pronto, nem de longe parece que vocês tiveram tantos problemas, ficou tão lindo!
Beijos

Tenikey disse...

A festa ficou linda, adorei as foto, a ideia todo mundo com uniforme do alberto. ficou show. parabens.
beijos

Caroll disse...

Dany,
Ficou tudo lindo!!
Bjs

Postar um comentário